CANAL MEMÓRIA DA TV (escolha uma atração para assistir)

CONTROLE REMOTO (especial) - TÚNEL DO TEMPO

terça-feira, 25 de setembro de 2007

TRILHAS
.
.
LOCOMOTIVAS - INTERNACIONAL
.
.
Na época da disco music e das festinhas de fundo de garagem, a trilha sonora internacional de "Locomotivas" (Som Livre - 1977) era artigo indispensável. O disco, que intercala sucessos da discoteca com temas românticos, fez muito sucesso na época do lançamento.

"Dance and Shake Your Tambourine" estava entre as favoritas da trilha entre os apreciadores do ritmo que invadiu as discotecas no final dos anos 70. Não menos sucesso fizeram as dançantes "Young Hearts Run Free", de Candi Staton e "N. Y. You Got Me Dancing", de Andrea True Connection.

Os temas românticos também se destacaram na trilha. A balada "Sad Songs", dos irmãos Billy and Bobby Alessi, ajudou a manter o clima de melancolia da personagem Patrícia (Elizângela), e a voz frágil e quase infantil de Ornella Vanoni em "Più" casou com o jeitinho espivitado da "bonitinha, mas ordinária" Fernanda (Lucélia Santos).

O romantismo exacerbado e a pobreza dos arranjos em algumas faixas põem em risco a qualidade da trilha, como em "Sorrow", de Michale Sullivan; "Sweet Sounds, Oh Beautiful Music!", de Steve Mclean e "Conversation", de Morris Albert.

Destaque para "That's the Trouble", da jamaicana Grace Jones, "Love in 'C' Minor", de Cerrone, e para a balada de cortar os pulsos "Rainy Days", de Richard Young, tema de Celeste (Ilka Soares) e Netinho (Dênis Carvalho).

O problema da trilha parece estar no fato de alternar músicas de estilos (e arranjos) tão diferentes. A idéia de intercalar a avançada tecnologia musical da disco music com os arranjos pobres das baladas da trilha não teve um efeito positivo. Talvez se as músicas dançantes fossem gravadas de um lado do disco e as baladas românticas do outro, a trilha ficasse mais regular, evitando um efeito sonoro tão abrupto, causado pela diferença dos arranjos musicais ao se ouvir o disco na sequência das faixas. Contudo, é uma boa trilha, considerando-se a seleção de repertório.

.
CURIOSIDADES

- A capa da trilha internacional é igual a capa da trilha nacional. Mudou-se apenas a cor de fundo. Enquanto a nacional tem o fundo preto, a internacional tem o fundo azul com a borda vermelha.
Na época era bastante comum que as capas das trilhas nacional e internacional fossem iguais, mostrando-se apenas o logo da novela em tamanho grande e mudando-se apenas a tonalidade de fundo das capas.

- Vários brasileiros fizeram sucesso cantando em inglês na década de 70, inclusive usando pseudônimos. Na trilha internacional de "Locomotivas" estão presentes três dos mais bem sucedidos cantores brasileiros que gravaram em inglês: Morris Albert, compositor do grande sucesso internacional "Feelings"; Steve Mclean, que embarcou vários sucessos em trilhas de novelas da época, e Michael Sullivan, que fez relativo sucesso com suas canções no final dos anos 70 ("My Life" da trilha de "O Casarão" também fez grande sucesso), e que formou dupla com Paulo Massadas na década de 80, emplacando vários sucessos na voz de cantores consagrados da MPB.

- O sucesso "Isn't She Lovely?", de Stevie Wonder, foi tocado várias vezes na novela, principalmente nas noites de agito do bar "Tia Joana", mas a música não fez parte da trilha.

- Destaque para o comercial da trilha internacional da novela. Cinco moças dançavam as músicas da trilha vestindo apenas um biquini. No final do comercial (ao som da música "Più"), as moças se viravam de costas e um close na parte de trás das tangas que elas vestiam revelava o nome da novela, escrito em sílabas em cada uma das tangas: LO-CO-MO-TI-VAS.
A cara dos anos 70!


Guilherme Staush


Foto: Mercado Livre
.


.

2 comentários:

Raridades Em Mp3 disse...

a trilha de locomotivas não tem nenhum arranjo pobre. Arranjos são decorrentes de um contexsto musical, chamar de pobre um arranjo que caracteriza todo um estilo de época é maio demais. Menos...menos... análise musical tem contexto....

Gui disse...

Os arranjos musicais podem ser pobres, sim , independentes do contexto da época. Todas as canções desse disco são da mesma época e notável a diferença entr else. Vc por acaso acha os arranjos musicais das canções da Sandra de Sá e da Jane Duboc de seus discos do final dos anos 80 ricos? É só pegar a maioria dos discos lançados pela BMG ariola no final dos anos 80, a maioria com arranjos feitos por Lincoln Olivetti e vc vai ver (e ouvir) a diferença se comparar com outros arrnajos de músicas da época de discos de Caetano e Marina, por exemplo.