CANAL MEMÓRIA DA TV (escolha uma atração para assistir)

CONTROLE REMOTO (especial) - TÚNEL DO TEMPO

quinta-feira, 3 de julho de 2008








A Rede Manchete apresentou durante cinco anos (1988 - 1993) o programa "Cinemania", idealizado e apresentado pelo crítico Wilson Cunha. O programa mostrou reportagens sobre os bastidores das produções nacionais e internacionais do cinema, além de contar com a participação do telespectador, que pedia através de cartas sua cena favorita, que era mostrada durante o programa.

O Cinemania lançou originalmente dois discos trazendo trilhas marcantes do cinema escolhidas pelos telespectadores. Através de um concurso, o programa apresentou as músicas mais solicitadas, e assim montou as seleções das trilhas, que incluíam os temas dos filmes Bagdad Café, Top Gun - Ases Indomáveis, Ghost - O Outro Lado da Vida, Os Caça-Fantasmas, entre outros.

O programa contou também com a participação de Tânia Rodrigues, que dividiu a apresentação do programa com Wilson Cunha.


A trajetória do Cinemania: o cinema da tela da Rede Manchete


1991

NOVIDADES NO PROGRAMA

A dose dupla de Cinemania é mais que vitória para Wilson Cunha que, para colocar no ar o primeiro programa, há três anos, passou horas infindáveis dentro da Manchete. No momento ele prepara ainda mudanças para a versão vespertina. "Como o mercado de vídeo tem crescido muito, vamos fazer o Vídeo em revista, chamando atenção para as fitas que estão saindo aqui e no exterior, de filmes recentes e antigos", planeja. Outras novidades são o quadro "Um minuto de história" que vai mostrar as primeiras imagens do cinema e novidades relativas à outras áreas do showbiz. "Sem trair quem gosta de cinema, quero atrair o espectador que se liga em teatro, ópera e artes plásticas", diz Wilson Cunha.


1993

CINEMANIA II - MAIS FORTE AINDA!

A desculpa de que só a insônia leva alguém a sintonizar a televisão até de madrugada já não cola mais. Esse público, que parecia tão restrito e comedido, começa a mostrar que vale a pena perder voluntariamente algumas horas de sono por minutos calientes com cenas de sexo explícito.

Nos últimos três meses mais de 25.000 pessoas enviaram cartas para participar da promoção do Sex home vídeo, um dos quadros do programa Cinemania II, exibido a partir de 0h40, às segundas-feiras, na Manchete, e ganhar um vídeo erótico.

É que ninguém quer ficar apenas no conta-gotas das cenas picantes que aparecem no final do programa divididas em dois quadros: o Hot spot (lançamento de vídeos) e o Sex home vídeo (promoções). Pelo menos é o que garante o diretor geral e apresentador do Cinemania II, Wilson Cunha. "Se fôssemos atender aos apelos do público teríamos que fazer um programa inteiro de cinema erótico. As pessoas pedem sempre mais'', comenta. Ele defende que o programa não é pornográfico. "A pornografia é mais a forma de utilização do material. O programa não tem caráter sensacionalista para atrair público. Nada mais natural do que aquelas cenas. Não mostro aberrações, escatologia ou patologia". "Só vê realmente quem quer" e, por isso, até agora, segundo Cunha, "não houve reação violenta contra o programa". A reação mais engraçada que o diretor do programa já recebeu foi de uma senhora do Pará. "Fizemos um pacote gay durante uma semana. Essa senhora escreveu reclamando que era um horror isso porque dava Aids, mas sugeriu que deveríamos colocar cenas lindas de amor lésbico", recorda Cunha. As reclamações, como diz ele, são geralmente de pessoas que acham as cenas fracas. Mas quando as cenas são fortes demais também tem bronca.


O FIM DO FILME PARA O CINEMANIA

Pelo menos para o seu criador e apresentador, Wilson Cunha, a saída do programa Cinemania da Rede Manchete, anunciada pela emissora somente no início dessa semana, não foi surpresa. Reprisado desde o início do ano, quando estourou a greve de funcionários da rede, o programa não tinha mais condições de ir ao ar. "Desde o final do ano passado não recebíamos salários e não havia pessoal suficiente para editá-lo", lembra. Mas o crítico, que assumiu a direção do canal de filmes da Globosat em novembro passado, não está preocupado em levar o Cinemania para outra emissora. "Agora tenho um programa de 24 horas de duração, na Globosat, para organizar. Não faz sentido, para mim, sair batendo de porta em porta oferecendo o Cinemania", diz.

Cinemania, originalmente exibido nas tardes de sábado, marcou mais pontos ao criar uma versão hardcore para o fim das noites de segunda-feiras, o Cinemania II - Mais forte ainda, que escandalizou com cenas de sexo mais ou menos explícito. Para Wilson, toda essa experiência, esnobada pela Manchete, pode ser encarada como uma fase. "Na Globosat, disponho de liberdade e condições para criar o que quiser. Por ocasião da morte da atriz Lilian Gish, por exemplo, fomos o único canal a fazer um especial sobre a estrela e exibir seu último trabalho para o cinema, o filme "Baleias de agosto", exulta.

Textos escritos por: Márcia Penna Firme e Carlos Helí de Almeida
Jornal do Brasil
.
.
VÍDEO

Assista a um trecho do programa "Cinemania", apresentado pela extinta Rede Manchete..


Vídeo: Marcelo Andreazza

.

Nenhum comentário: