CANAL MEMÓRIA DA TV (escolha uma atração para assistir)

CONTROLE REMOTO (especial) - TÚNEL DO TEMPO

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

1993
























A metalinguagem em Fera Ferida

Esta postagem foi feita por mim no blog AGORA É QUE SÃO ELES. Compartilho agora com os leitores do Memória da TV.




Bem antes da explosão do uso da metalinguagem feito por Maria Adelaide Amaral e sua equipe de colaboradores no remake de Ti Ti Ti, em 2010, a telenovela brasileira já utilizava esse recurso de fazer referências a outras obras. Em 1993, por exemplo, os autores de Fera Ferida, Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares, rechearam a obra com inúmeras menções a personagens de outras telenovelas, fazendo da bem sucedida trama, que contava a história de um homem (Raimundo Flamel) que retornava a sua cidade natal para se vingar da morte de seus pais, uma das novelas que mais se utilizou da metalinguagem televisiva.

No vídeo abaixo, você vai assistir a uma edição de nove cenas extraídas do folhetim. Veja se você é capaz de identificar quais personagens de quais novelas são referidos nessas   cenas. As respostas estão no final desta postagem.







Confira as respostas do teste:


Cena 1 - Prof Praxedes (Juca de Oliveira) utiliza o bordão "É justo, é muito justo, é justíssimo" do personagem Cel Belarmino (José Wilker) na novela "Renascer".

Cena 2 - Lucineide (Maria Gladys) faz referência a sua irmã, Lucimar, interpretada por ela mesma, na novela "Vale Tudo".

Cena 3 - Remédios (Luiza Tomé) usa o bordão "uh uh", do personagem Modesto Pires (Armando Bógus), amante de sua personagem, Carol, na novela "Tieta".

Cena 4 - Rubra Rosa (Suzana Vieira) usa a palavra "translumbrante", que fez parte do léxico de Kika Jordão (Arlete Salles), em Lua Cheia de Amor. Na novela, Kika perseguia a socialite Laís Souto Maia, interpretada pela própria Suzana.

Cena 5 - Lucineide (Maria Gladys) novamente faz referência à novela "Vale Tudo". Desta vez, ela menciona  Odete Roitman (Beatriz Segall) e Raquel (Regina Duarte), que fora sua patroa no folhetim.

Cena 6 - Demóstenes (José Wilker) chama Raimundo Flamel (Edson Celulari) pela alcunha de "carcará sanguinolento", forma como seu personagem era chamado em "Roque Santeiro" por Sinhozinho Malta (Lima Duarte). Curiosamente, ambos aparecem nessa cena.

Cena 7 - Remédios (Luiza Tomé) relembra outra personagem sua, em uma festa à fantasia, na praça central de Tubiacanga: a cigana Vida, da novela "Pedra Sobre Pedra".

Cena 8 - Lucineide (Maria Gladys) usa o bordão "te mete!", imortalizado por Raquel 9Regina Duarte), em "Vale Tudo".

Cena 9 - Mais uma referência à "Vale Tudo": a famosa "banana" que Marco Aurélio (Reginaldo Faria) dá ao Brasil quando foge para o exterior. Desta vez, o gesto ficou por conta do vereador Numa Pompílio de Castro (Hugo Carvana).






Um comentário:

NPR disse...

Não esquecer outro tipo de referências, não a personagens mas a situações, como o famoso caso da falta de cueca da acompanhante do presidente durante o carnaval, aqui retratado por Demóstenes e Perla Menescal.

SOBERBAS interpretações nesta novela!!!